Friday, July 27, 2007

dédalo

hoje (ontem) pela manhã a carolina, numa atitude já tão poética, veio aqui e deixou, nos comentários do blog, este presente. e logo hoje que acordei precisando tanto de um poema pra encarar melhor o dia. como você soube, carolina? :-)

dédalo

cavalo branco selvagem
aprisionado em invernadas
coloridas do coração
pesadelo furta sentimentos
da ânfora mágica
atira pétalas escarlates
na sensatez do tempo
efêmero momento de amor

josé geraldo neres

7 comments:

Moacy Cirne said...

De fato, a poesia - sempre necessária - continua sendo um belo presente para pessoas sensíveis. Um abraço.

Waipu Carolina said...

Não sabia Joice, sozinho que acho que às vezes as pessoas conectámos de tal maneira que um fio muito fino nos avisa sem saber de que devemos mimarla. De alguma maneira apeteceu-me presentear-te uma poesia.
Um beijo bonita.

joice said...

o melhor dos presentes, Moacy.
um abraço.

joice said...

então, de alguma forma, você soube. :)
espero ter sabedoria e sensibilidade para poder cuidar bem deste 'fio' que nos conecta, amiga.
outro beijo e bom início de final de semana pra ti.

Waipu Carolina said...

Isso é verdadeiro, há que cuidar as amizades que chegam a nós de uma forma especial. Quando um conecta à idade adulta é quase um milagre como diz minha grande amiga Rossana. Então fica-nos a tarefa de regar essa amizade.Ainda que às vezes não fazem falta perguntas para saber que tocava se encontrar por alguma razão. feliz fim de semana para tua também. Um abraço

matt said...

Beautiful poem you found, my dear. Who is the imprisoned wild white horse?

joice said...

hello, Matt. so good to see you here again.
well, maybe we all have some sort of imprisoned wild horses, hidden or not.
don't you think so?