Thursday, May 17, 2007

de vez em quando

já me matei faz muito tempo
me matei quando o tempo era escasso
e o que havia entre o tempo e o espaço
era o de sempre
nunca mesmo o sempre passo
morrer faz bem à vista e ao baço
melhora o ritmo do pulso
e clareia a alma
morrer de vez em quando
é a única coisa que me acalma
paulo leminski


2 comments:

Carlinhos Medeiros said...

Tudo na vida passa,
Assim como passam os sonhos.
Vão passando as tapiocas!
Grita o jovem tapioqueiro
Passam rios, pororocas
Tempestade, umbuzeiros
Passa o vento mais medonho,
passa o rio, passa às passas,
passa meus risos tristonhos,
a minha saudade passa,
Passa o dia, a noite insone
E só não passaram ainda
o número do telefone

joice said...

risos!!!