Wednesday, May 30, 2007

Tuesday, May 29, 2007

coisas da democracia






passada a sagrada correria de segunda e terça, estava dando uma voltinha aí pelas páginas dos jornalões nativos e, conforme esperado, nada consta a respeito das reais motivações para o fim da concessão da rctv na VENEZUELA e a cobertura vem recheada de padrões de manipulação que variam da mera ocultação ao joguinho de palavras, passando a idéia de que simplesmente Chávez teve um piti e decidiu fechar uma rede de tv que fazia oposição à sua revolução bolivariana.

eles que continuem tapando o sol com a peneira enquanto puderem. entre outras coisas, bem que está sendo divertido ver o imprensalão esperneando.. um dos cúmulos do esperneio foi flagrado e noticiado pelo luiz carlos azenha, no vi o mundo - dada a falta de multidões reunidas para protestar contra chávez, a cnn espanhol e a venezuelana globovisión inventaram uma. não, duas, exibiram respectivamente imagens de um protesto ocorrido no méxico e cenas do atentado contra o papa joão paulo segundo, ocorrido em 1981.. (???). o vídeo do flagra está no youtube.

na internet e na blogosfera tá assim ó de repercussões interessantes e exalações bacanas sobre os reais motivos para a não renovação da rctv. destaco aqui a postagem do marco weissheimer no rs urgente que leva a outro vídeo postado pelo mesmo luiz azenha que viu o mundo. é um vídeo de certa forma divertido e revelador que foi ao ar pela rctv na manhã seguinte ao golpe, em 2002, onde depor um presidente eleito democraticamente era motivo de orgulho aos mesmos 'jornalistas' que hoje engrossam o côro dos descontentes por sentirem-se atingidos em suas 'liberdades de expressão'.

é engraçado como estes caras se servem da democracia quando lhes convém, atravessando e violentando seus conceitos, como se democracia prescindisse de regras, e fazem discursos bobos, rasos, enchem a boca clamando por algo como 'democracia plena' (?), como ouvi hoje de um deputado gaúcho cretiníssimo na tv câmara, cujo nome nem ouso escrever aqui.

falar nisso agora me lembrou de um texto interessante sobre essa coisa da liberdade democrática. "Da liberdade dos antigos comparada a dos modernos", do Benjamin Constant, que não é o republicano brasileiro, mas sim um pensador suíço, é um texto fundamental aqueles que se interessam por filosofia política e especialmente sobre o tema da liberdade democrática. não sei bem qual a possibilidade de conseguir-se o texto em português. tenho uma cópia antiga e meio tabajara, mas caso algum passante aí se interesse, posso disponibilizar uma cópia, ainda que mais tabajara ainda..

mas ainda sobre os motivos da atitude de hugo chávez para a não renovação da concessão pública à rctv, o documentário A Revolução Não Será Televisionada, produzido por uma tv irlandesa, não deixa dúvidas ao contar a história de como o golpe de abril de 2002 contra chávez foi tramado e orquestrado pela rctv. o documentário está disponível no youtube. caso alguém aí ainda não tenha visto, o primeiro dos dez capítulos, e vale ver cada um deles!, começa aqui.

ah, sim.. a ilustração é do tomy, via telesurtv.

cenas de um resfriado















chá, um pé e seus livrinhos.

Saturday, May 26, 2007

por um acaso

















assim como o dveras, também me encantei com os ajuntamentos de palavras desta wislawa szymborska, poeta polonesa de nome impronunciável (pra mim) e ganhadora do nobel de literatura de 1996, cujas obras foram publicadas na revista piauí deste mês.
taí uma palhinha do motivo de tanto encantamento. olha só:

POR UM ACASO

Poderia ter acontecido.
Teve que acontecer.
Aconteceu antes. Depois. Mais perto. Mais longe.
Aconteceu, mas não com você.

Você foi salvo pois foi o primeiro.
Você foi salvo pois foi o último.
Porque estava sozinho. Com outros. Na direita. Na esquerda.
Porque chovia. Por causa da sombra.
Por causa do sol.

Você teve sorte, havia uma floresta.
Você teve sorte, não havia árvores.
Você teve sorte, um trilho, um gancho, uma trave, um freio,
um batente, uma curva, um milímetro, um instante.
Você teve sorte, o camelo passou pelo olho da agulha.

Em conseqüência, porque, no entanto, porém.
O que teria acontecido se uma mão, um pé,
a um passo, por um fio
de uma coincidência.

Então você está aí? A salvo, por enquanto, das tormentas em curso?
Um só buraco na rede e você escapou?
Fiquei mudo de surpresa.
Escuta,
como seu coração dispara em mim.


ilustração via militantplatypus, via 100 Volando, que conheci via adivinha quem?

Thursday, May 24, 2007

fui






















mas a historinha continua lá no xkcd.com

Wednesday, May 23, 2007

gol mil

tô enrolando tanto pra me mandar desta vez. é mais ou menos como o milésimo gol do romário. quando eu for embora vai ser assim também. de pênalti.

aquecimento global, auto-crítica e uma promessa














pra você ver como são as coisas, e a importante tarefa social dos cartunistas. ri muito, de mim, ao me ver nesta ilustração do bob englehart no site da telesurtv ontem. não sou usuária de fast food, mas confesso que vez ou outra adoro dar um discursinho e pregar uma moralzinha plástica quando me oferecem sacolinhas plásticas por aí (sobretudo quando se trata de algo que caiba perfeitamente na bolsa ou mochila que já são como prolongamentos do corpo), para logo em seguida sair rua afora alegremente poluindo com meu carrinho. tá certo, mas a pessoa vai aprendendo. o caso é que é sempre muito mais fácil julgar a atitude alheia, e isto é fato. e ao dizer isso agora chego a quase entender estas pessoas todas que parecem saber muito melhor que eu sobre o que devo fazer, onde, como, quando e com quem.
mas tudo bem. normalmente digo que não prometo nada, mas daqui pra frente prometo usar mais a bicicleta, prometo, tá prometido.

Monday, May 21, 2007

o gato e as onomatopéias da era digital

borboletas no estômago















um começo, paixão antiga, paixão nova, um fim, um papo tudo ou nada, dia de prova, entrevista de emprego, defesa de tese, falar em público, subir num palco, o instante que antecede o beijo, despedidas e chegadas. podem ser também coisas bem mais prosaicas a desencadear esta sensação tão bem ilustrada pela bela expressão que é o ter-se borboletas no estômago. uma música, um cheiro, lembrança, um rosto, carta, cena de filme, um pacote que chegou pelo sedex, um quase sorriso, um talvez, um olhar, uma palavra, meia palavra, um gesto, um som, um silêncio.

a ilustração veio do traveling with the ghost, que conheci via animot.

precisamente

preciso desesperadamente interromper a leitura
das cartas trocadas entre heidegger e hannah arendt
(esta já deve ser a quinta tentativa).
preciso fotografar e pintar mais
preciso pintar a casa!
preciso ser mais sabida
preciso ler menos
preciso ler mais, mas outras coisas
aliás preciso saber o que afinal estou lendo
coisa que nunca vai acontecer, pois antes precisaria parar de ler
sempre ao menos três ou quatro livros ao mesmo tempo.
preciso parar de não organizar tanto,
torres de livros, revistas, jornais, anotações,
bobagens, cds, dvds, coisinhas
se acumulam nas estantes, sofás, corredores, bocas de cachorros. não dá mais.
preciso reler fernando pessoa,
vai ser o livro do desassossego, isso está decidido.
preciso escrever sobre a coisa dos números.
preciso parar de contar
e de implicar com os números pares e com as
letras maiúsculas.
preciso outras coisas
preciso as mesmas coisas,
mas em doses diferentes.
preciso não caminhar menos.
preciso de mais trabalho
e de quebra adicionar mais tempo aos dias.
preciso continuar imitando meu pai em tudo o que ele não fazia.
preciso decidir para onde vou
preciso ir logo.
preciso prescindir de te precisar.
preciso não prescindir de precisar
preciso não precisar de nada disso.

são alguns dos planos pra semana, semanas, alguma semana..
e boa semana aos que passarem por essas bandas.

Sunday, May 20, 2007

sol de outono










coisa boa terminar um trabalho bem antes do prazo e poder ir pra rua curtir a tarde de sol. só preciso parar de me sentir meio órfã dos trabalhos concluídos. o mesmo se aplica aos livros que termino de ler. aliás, preciso também outras coisas. depois que o sol fugir para o japão, fujo para cá e escrevo sobre isso. (ou não?)

abaixo, o sol, por arnaldo antunes:

nessa época o sol é mais frio
porque ele se divide em mil
mas para lá de janeiro
ele volta a ficar inteiro

agora o sol parece uma laranja madura
porque ele está sem pintura
mas quando entra março
parece a cara de um palhaço

tem dias que o sol vai embora
tem noites que não tem aurora
às vezes ele fica no japão
e só volta quando chega o verão

agora que o sol está bravo
parece uma moeda de um centavo
mas quando se alegra, o sol
fica maior que uma bola de futebol

o sol está brilhando muito claro
porque hoje é seu aniversário
nesses dias ele quase cega
e quem é cego quase enxerga

o sol está sempre ali no céu
a terra é que faz o carrossel
de noite o sol apaga sua chama
e dorme debaixo da minha cama


Saturday, May 19, 2007

quem sabe um café?









nada como alguém te conhecer tão bem a ponto de te telefonar com toda a naturalidade do mundo perto das 2 da manhã para perguntar como vai o trabalho e se oferecer para compartilhar o café recém passado.
valeu, vizinho! : )

Friday, May 18, 2007

¡Pero que frío hace aquí!













ontem entrei num café. nossa, todas as roupas de inverno da cidade pareciam ter fugido dos armários fedorentos e ido direto pra lá. não sei porque grande parte das pessoas usa naftalina quando um pouco de cravo e canela faz o mesmo efeito de forma muito mais agradável e bem menos agressiva.

manhã gelada. perfeita para um pouquinho de graspa no café : )

Thursday, May 17, 2007

la pelea / the fight








dad: "what are you watching, Mafalda?"
mafalda: "the fight."
dad: "but... it's a soap opera! what fight are you talking about?"
mafalda: "the writer's fight. it's fascinating seeing the writer's struggle to scape the clutches of intelligence."

via al's mafalda page

de vez em quando

já me matei faz muito tempo
me matei quando o tempo era escasso
e o que havia entre o tempo e o espaço
era o de sempre
nunca mesmo o sempre passo
morrer faz bem à vista e ao baço
melhora o ritmo do pulso
e clareia a alma
morrer de vez em quando
é a única coisa que me acalma
paulo leminski


Wednesday, May 16, 2007

a saudade é vermelha




















gosto desta foto porque ela resume algumas paixões como Pedro, música, computers, livros, caos, vermelho e ainda outras.. na verdade lembrei desta foto agora por conta do vermelho, por ter falado antes de almodóvar. sim, porque, embora alguns não saibam, todas as cores de almodóvar são vermelhas. vermelhas por fortes e frágeis, e belas por tão intensas de dor quanto de alegria, vida, amor, esperança, tesão, sonho e... saudade.

..por falar em saudade, olha só:

saudade é um pouco como fome. só passa quando se come a presença. mas às vezes a saudade é tão profunda que a presença é pouco: quer-se absorver a outra pessoa toda. essa vontade de um ser o outro para uma unificação inteira é um dos sentimentos mais urgentes que se tem na vida.
clarice lispector

gotan project

ainda sob os efeitos de um final de semana um tanto almodovariano... não apenas porque assistimos volver e mais duas belas produções hispano-argentinas, mas sim por todo. e como tantas coisas nos últimos dias me fizeram sentir saudade de ver e ouvir la revancha del tango, estava aqui assistindo agora o dvd e quis compartilhar aqui um pedacinho.

confesso que, encorajada por alguns, até já fiz algumas tentativas de gostar de música eletrônica, todas frustradas e frustrantes. a estes que dizem 'ah mas pra dançar é bom', eu digo com todo respeito, não, não é. para mim não é e pelo jeito nem nunca vai ser.

acontece que um dia, há uns 5 anos, talvez mais, helô e caboclo me apresentaram gotan project. não sei se foi o apêlo da sonoridade mantida do tango, ou talvez pela insistência destes franco-argentinos em impregnar seu trabalho com um forte viés político por vezes de tons anarco-existencialistas, ou se foi um não-sei-quê qualquer, só sei que gotan project me pegou. e nem penso em chamar de música eletrônica, até porque em geral tenho uma puta dificuldade com esta coisa de rótulos. os ditos puristas argentinos que me desculpem, mas a mistura ficou irresistível. casou feito chocolate com café, uma de minhas poções preferidas. tango eletrônico, tango-punk, tango contemporâneo ou seja lá o nome que dêem a isto, eu gosto.

o videozinho aí é a introdução do dvd la revancha del tango, com queremos paz, cuja letra é um fragmento do discurso do che guevara na onu, em dezembro de 1964.

Saturday, May 12, 2007

Thursday, May 10, 2007

...e chegou.

obviamente a postagem anterior se refere ao tal video perdido de segunda-feira que, sabe-se lá por meio de que forças ocultas, nesta madrugada encontrou o caminho. anyway, apesar do texto já temporalmente fora de contexto, minha semana seguiu num ritmo tão semelhante a uma l o n g a segunda-feira, correndo para cumprir prazos e etc., e só hoje pela manhã finalmente aliviando a pauta, que de certa forma o atraso youtubeano acertou. ou seja, de um jeito ou de outro a musiquinha boa ainda tá valendo.

give me one reason

an easy song after a rough working day.
ok, ok.. not that easy : )

após uma c l á s s i c a segunda-feira, música boa.
relaxe, se puder..

Wednesday, May 09, 2007

uma ameaça / a threat

















legenda:

"seja bonzinho com a américa, ou levaremos democracia para o seu país."

- só pra variar não lembro de onde peguei essa imagem. mas foi numa destas andanças internéticas. quando e se eu lembrar, dou o crédito. ou se alguém por aí souber, é só falar.

- where did i get this from? i honestly don't know. so if you do, let me know.

Tuesday, May 08, 2007

Monday, May 07, 2007

the sex appeal of writing



































via all about nothing que conheci via animot

deu tilt

xii, era para ter chegado um vídeo youtubeano aqui, há horas. deve estar perdido pelo caminho. se por acaso chegar um videozinho não-solicitado em algum blog aí, favor mandar pra cá.
agradeço antecipadamente.

um momento

num destes misteriosos momentos de contentamento existencial, por um instante percebo que para alguém como eu, até que nem é ruim ser eu.

within this mysterious moment of satisfaction with my own existance, for a moment i keep thinking that for someone like me, to be myself is not so bad.


Saturday, May 05, 2007

abstract expressionism
















jane frank, crags and crevices, 1961, 70 x 50 inches



















helen frankenthaler, coral wedge,1972, acrylic on canvas, 81 1/2 x 46 1/2 inches

via art and perception - abstract expressionism, a personal confession

travessuras





































lembrando que é só clicar nas imagens para ampliá-las.

a saideira, e carta aberta














no sábado passado o joão, meu blog-companheiro no vozes do sul, foi de mala e cuia para santa catarina. ele quer me puxar pra lá, e é mesmo possível que em breve eu mude daqui para algum lugar, talvez lá, talvez lugares outros, ainda não sei. por enquanto vou ficando, gosto daqui. mas mantenho uma perspectiva de mudanças à vista.

por uma até compreensível tentativa de rotular o relacionamento humano e encaixá-lo nos moldes de relações 'disponíveis' por aí, em geral as pessoas desentendem a dupla joão-joice. mesmo entre nossas amizades muita gente permanece ainda intrigada, mantém o cenho franzido, o que na verdade é algo que não chega a incomodar, ao contrário de certa forma nos diverte.

mas o que eu ia dizer é que o joão e eu temos uma amizade indizível e indelével, é um dos tesouros com que a vida me presenteou e que guardo com cuidado e gratidão. desde muito tempo e bem além da parceria no blog, o joão tem sido um amigo daqueles a quem se pode dizer tudo ou qualquer coisa, o que for. sem qualquer receio de julgamento. talvez por isso apenas hoje eu esteja verbalizando a respeito da despedida ou mesmo vendo agora as fotos. por um problema de saudade antecipada.

apesar disso, é claro, estou na torcida e querendo muito que esta mudança represente um presente e futuro cheios de coisas boas.

bb! qualquer dia vou aí te ver, vou levar na mochila erva boa (pro chimarrão, não se assanhe!) e um presente pra casa nova.. e cores e músicas, muitas, e tudo mais que eu for juntando por aqui e que tiver a tua cara.

um meme













hoje pela manhã ganhei um meme do carlinhos da bodega cultural, que é um elogio e um incentivo à interatividade entre os blogs e seus blogueiros, ou vice-versa.

a regra entonces é passar adiante o meme e ir assim inundando a blogosfera de gentileza, expressão de admiração, afeição, gratidão, enfim.. de interatividade entre as pessoas que se relacionam através deste instrumento chamado blog. assim, logo abaixo estão minhas indicações para dar continuidade a esta onda meme..

o que é meme? olha aí:

Um "meme" é um "gen ou gene cultural" que envolve algum conhecimento que passas a outros contemporâneos ou a teus descendentes. Os memes podem ser idéias ou partes de idéias, línguas sons, desenhos, capacidades, valores estéticos e morais, ou qualquer outra coisa que possa ser aprendida facilmente e transmitida enquanto unidade autônoma. Simplificando: é um comentário, uma frase, uma idéia que rapidamente é propagada pela Web, usualmente por meio de blogues.O neologismo "memes" foi criado por Richard Dawkins dada a sua semelhança fonética com o termo "genes".

passando a bola, ou o meme, para:

Friday, May 04, 2007

depois da chuva - atualizado!

aha! o emerson acaba de avisar que a festa depois da chuva foi adiada para depois da tempestade. portanto, festa adiada para a próxima sexta, dia 11 de maio. até lá eu confirmo.























adiada para a próxima sexta, dia 11. festa da helô, a dj que só toca música boa.
a arte é do emerson, da nativu design.

Thursday, May 03, 2007

as fronteiras foram riscadas no mapa













As fronteiras foram riscadas no mapa,
a Terra não sabe disso:
são para ela tão inexistentes
como esses meridianos com que os velhos sábios a recortavam
como se fosse um melão.
É verdade que vem sentindo há muito uns pruridos,
uma leve comichão que às vezes se agrava:
ela não sabe que são os homens...
Ela não sabe que são os homens com as suas guerras
e outros meios de comunicação.
mario quintana

via IF, que conheci através dos itens compartilhados
pelo saff do um dia a menos.

viu só? às vezes a pessoa precisa ir longe para conhecer poesia de perto.

a ilustração é uma imagem de satélite - baía de mahajanga, madagascar.

Wednesday, May 02, 2007

uma história em uma frase / one sentence story


ele era tão tímido que precisou inventar um personagem para ser.

gosto muito de minicontos, histórias curtas, contos minimalistas ou seja lá o nome que se dê pra coisa. outro dia descobri um lugar, o one sentence - true stories, told in one sentence. para aqueles que não são lá muito familiarizados com o inglês, a idéia é contar uma história verdadeira utilizando apenas uma frase. o site tem histórias ótimas, dá até vontade de sair inventando historinhas de uma frase como a que escrevi acima. é no mínimo um bom exercício de objetividade, sobretudo para pessoas com tendências a uma certa (forte) prolixidade textual, como é o meu caso. qualquer hora trago de lá as minhas preferidas.

map of online communities





















via xkcd